Pesquisar neste blog

27 de dez de 2014

As cicatrizes da batalha: reflexões a partir do suicídio de um pastor - Juan de Paula

Tem cuidado de ti mesmo e do teu ensino; persevera nessas coisas. Dessa forma, salvarás tanto a ti mesmo como os que te ouvem (1Tm 4.16; A21).
Introdução

Recentemente um colega escreveu em uma rede social uma reflexão sobre um pastor que havia se suicidado. Posteriormente a mídia evangélica começou a divulgar matérias sobre um pastor que havia se enforcado quando havia retornado da igreja a sua casa. Deixou esposa e dois filhos. Há indícios de que ele lutava contra a depressão.

Pode parecer novidade no Brasil, mas nos Estados Unidos tem sido comum a notícia de pastores que se suicidam. Porém aqui já há matérias sobre pastores que abandonam o ministério.1
Minha intenção aqui não é julgar ou tentar responder o que aconteceu com aquele pastor. Eu não o conhecia. Apenas desejo lançar uma reflexão sobre a guerra em que os pastores se encontram. Sim! Guerra! Até porque todos os cristãos encontram-se numa guerra. E os pastores estão na linha de frente da batalha. No front!