Pesquisar neste blog

21 de mai de 2012

Nigéria: Muçulmanos matam cerca de 300 Cristãos em 3 semanas

Cerca de 300 Cristãos inocentes foram mortos numa só diocese e outros 27 morreram em ataques levados a cabo em 3 igrejas à medida que a violência anti-Cristã escala na Nigéria.
O Rt Rev Timothy Yahaya, Bispo de Jalingo, disse ao Barnabas Fund que 300 Cristãos foram mortos na sua diocese numa série de incidentes que ocorreram durante 3 semanas. No Domingo dia 29/04/2012, no norte da Nigéria, 3 serviços religiosos Cristãos foram atacados, deixando 27 Cristãos mortos. O primeiro aconteceu quando os Cristãos se haviam reunido para a adoração na Bayero University em Kano.

Até agora confirma-se a morte de 22 Cristãos (ao mesmo tempo que 23 ficaram feridos) depois de bombas terem sido arremessadas para dentro do edifício por volta das 8:30 da manhã. Testemunhas afirmaram que os assassinos muçulmanos começaram por atirar explosivos e a disparar para o local, prosseguindo com os ataques aos Cristãos à medida que estes fugiam do local.
Mais tarde, e no mesmo dia, os terroristas muçulmanos abriram fogo contra outra igreja na cidade de Maiduguri. Cinco Cristãos, incluindo um pastor, foram mortos no ataque levado a cabo contra o edifício da "Church of Christ in Nigeria" (COCIN).

Guerra aos Cristãos
Ninguém ainda assumiu a responsabilidade dos ataques e nem é preciso visto que todo o mundo sabe qual é a ideologia política mascarada de religião que normalmente se delicia com a morte de Cristãos.
Na Nigéria os únicos homens determinados a erradicar a presença dos Cristãos do norte da Nigéria são os muçulmanos do grupo terrorista Boko Haram - o mesmo que "declarou guerra" aso Cristãos [desarmados] em Março último. Curioso que a "guerra" que os terroristas muçulmanos declararam não seja contra homens armados mas sim contra mulheres e crianças presentes dentro de igrejas - sítios onde normalmente não estão escondidas armas de auto-defesa.
Cerca de 40 Cristãos morreram num ataque suicida levado a cabo no exterior de igrejas onde se realizavam cultos de Páscoa (Kaduna). Duas outras igrejas na cidade do centro da Nigéria com o nome de Jos foram alvo de violência islâmica no espaço de duas semanas; uma mulher grávida e um bebé com 18 meses contavam-se entre os mortos.
Esperamos ansiosamente que os apologistas maometanos condenem esta onda assassina e cristofóbica que o grupo islâmico Boko Haram está a propagar no norte da Nigéria.
Fonte: Perigo Islâmico

Nenhum comentário:

Postar um comentário