Pesquisar neste blog

25 de nov de 2010

O chamado do alto - anônimo

Se Deus tem chamado você para que seja verdadeiramente como Jesus com todas as forças de seu  
espírito, Ele o estimulará para que leve uma vida de crucificação e de humildade e exigirá tal obediência que você não poderá imitar aos demais cristãos, pois Ele não permitirá que você faça o mesmo que fazem os outros, em muitos aspectos.

Outros, que aparentemente são muito religiosos e fervorosos, podem ter a si mesmos em alta estima, podem buscar influência e ressaltar a realização de seus planos; você, porém, não deve fazer nada disso, pois, se tentar fazê-lo, fracassará de tal modo e me¬recerá tal reprovação por parte do Senhor, que você se converterá em um penitente lastimável.

23 de nov de 2010

Frases 38 - Thomas Watson


"Há tanta diferença entre as alegrias espirituais e as terrenas quanto entre um banquete saboreado e outro pintado na parede."


"Amizade falsa é pior do que dinheiro falso."


"O amor é a única coisa com que podemos pagar a Deus na mesma moeda... Não podemos pagar-lhe tintim por tintim, mas devemos amá-lo generosamente."


"As pessoas que não têm Cristo como Rei para reinar sobre elas jamais terão seu sangue para salvá-las."

21 de nov de 2010

As marcas do verdadeiro cristão - Paul Washer


18 de nov de 2010

A Verdadeira Salvação Através de Jesus Cristo - John MacArthur

14 de nov de 2010

Frases 37 - J. I. Packer


"A religião em que nosso Senhor foi criado era, antes e acima de tudo, uma religião de sujeição à autoridade de uma Palavra divina escrita."

"Jesus considerava-se a chave para as Escrituras, e estas a chave para ele próprio."

"Submeter-se à Palavra de Deus é um ato de fé; qualquer questionamento ou tentativa de alterá-la é demonstração de incredulidade."

"Um pouco de conhecimento de Deus vale muito mais do que uma grande quantidade de conhecimentos sobre Ele."

13 de nov de 2010

O Porco - Paul Washer

8 de nov de 2010

A eleição dos bispos romanos - José Grau

A eleição dos bispos romanos


Se um cidadão romano dos primeiros séculos da era cristã, ressuscitado, assistisse no Vaticano, em Junho de 1963, à eleição e coroação de Paulo VI — ou à de qualquer outro Pontífice moderno —, não entenderia nada do que tais cerimónias e práticas da Roma papal significam.

Certa apologética católica se serve, com não pouco êxito, do que poderíamos chamar uma grande «ilusão de perspectiva histórica», consistente em fazer crer que a Igreja romana foi, e continua sempre a mesma desde o primeiro século até aos nossos dias. Como se tudo o que crê e pratica, salvo certas ninharias de detalhe e forma, remontasse basicamente até ao próprio São Pedro. Deste modo, o Catolicismo romano pretende dar a impressão de que o bispo de Roma foi sempre não só bispo de uma «diocese» (como qualquer outro bispo católico), mas Cabeça visível da Igreja universal e Pontífice, «bispo dos bispos de todo o orbe», na sua qualidade de suposto Vigário de Cristo. Assim, se tenta fazer crer que as tradições romanas remontam à antiguidade apostólica e são, portanto, garantia de verdade e de autêntica Igreja.

6 de nov de 2010

Plena Satisfação em Deus, partes 3 e 4- John Piper