Pesquisar neste blog

28 de jul de 2009

O monte e o santo lugar - Daniel S. Oliveira



“Quem subirá ao monte do SENHOR? Quem há de permanecer no seu santo lugar?” Sl 24:3

Uma pergunta é feita: Quem subirá ao monte do SENHOR? E uma multidão empolgada levanta as mãos. Todos querem subir ao monte. Há um alvoroço na multidão, empurra daqui, dali. Todos correm para subir ao monte. Todos querem estar lá no alto, estar por cima, acima dos outros, sair da mediocridade. Seus olhos brilham quando olham o monte. Dizem em seus corações: Quando chegar lá, serei alguém. Todos vão me ver. O monte é admirado, desejado, afinal de contas, só os “homens de Deus” sobem ao monte. O monte é um lugar alto. Estar no monte, é estar acima dos outros. É destacar-se na multidão. É aparecer. É o sonho de todos que querem ser alguma coisa. Estar no monte, é tornar célebre o seu nome!(Gn 11:4) Existem duas classes de pessoas: os que estão no monte, e os que não estão no monte. Se você não está no monte, você não é ninguém.
Existem aqueles, que se aproveitam dessa correria. Viram nisso uma oportunidade. Ensinam como subir mais facilmente, qual o melhor caminho, o melhor atalho, tudo isso, é claro, que em troca de uma pequena quantia... Há alguns que já subiram e agora ensinam outros a subir também. Faz-se até curso! Existem livros, manuais, CD’s, congressos, camisas (“estou subindo o monte”) e toda a forma de marketing. Tem para todos os gostos, e bolsos... E o comércio se multiplica.(Ez 28:16) E a multidão nem avalia a qualidade, faminta pelo topo, paga qualquer preço e segue qualquer caminho, não sabendo que existem caminhos enganosos (Pv 14:12).


Após algum esforço, finalmente eles chegam ao topo da fama, quero dizer, do monte. Cheios de si, olham para os outros com certo desdém e dizem em alta voz: Olhem para mim! Eu subi! Cheguei ao monte! Vejam! Eu consegui! Sou um homem de Deus! É fruto do meu esforço! Eu mereço! E se vocês se esforçarem (muito), pode ser que consigam também. Alguns poucos, quando alcançam o topo, até se lembram de orar e dizem: “Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens...” (Lc 18:11) E assim, muitos querem subir o monte, não por causa do SENHOR, mas em busca da própria glória. Mas depois que já estão lá, oh! Que tristeza! Deus não está aqui! Descobrem que estão no monte errado, descobrem que não estão em Sião, mas em Babel. Não sabiam que o orgulho nunca poderia levá-los a Deus. Eles até que poderiam descer e procurar o monte correto, mas descer do monte? Nunca! Jamais! Abandonar os aplausos da multidão? Abandonar as alturas? Pra quê? Vamos fingir que Deus está aqui conosco e ficar por isso mesmo. Cada um ocupe o seu tão ambicionado cargo, e depois é só fingir que é pra Deus...
Agora outra pergunta é feita: Quem há de permanecer no seu santo lugar? Ah sim, existe um outro lugar: é o santo lugar. Mas que lugar é esse? Me lembro vagamente de ter ouvido falar dele quando me converti. Será que ele realmente existe, pois agora só se fala do monte? Sim, ainda existe. É um lugar que não chama muita a atenção. Não está no jornais, não dá ibope “gospel”. É um lugar secreto, conhecido apenas pelos pequeninos.(Lc 10:21) E o caminho ainda é muito estreito, estreito demais pra deixar passar qualquer orgulho. Para passar, é preciso abandonar muitas coisas, muitos prazeres, coisas que até amamos, mas que não cabem no caminho.
Para se chegar neste lugar, não há guias, não há métodos, não há fórmulas mágicas ou dinheiro que pague. Aliás, existe um único guia, chamado Espírito Santo, que exigirá sua total obediência para levá-lo até lá. Muitos até começam a caminhada, mas quando encontram a primeira pedra, se escandalizam, olham para trás e retrocedem. Para continuar no caminho, é necessário fé e perseverança. É necessário amor. Algumas vezes pode se até cair, mas o Consolador sempre está lá para levantá-los. Jamais os desampara. E todo aquele que perseverar até ao fim, alcança o santo lugar.
Ah! Que alegria! Não há nada que se compare ao santo lugar. Ali não há ambições, guerras, dor ou lágrimas. Aliás, há lágrimas sim. Lágrimas daqueles que foram constragidos pelo amor do Santo, e agora lavam Seus pés com suas lágrimas. Ali, reina a paz de Deus que excede todo entendimento e a bandeira deles é o Amor. Corações gratos exultam em uníssono o nome do Senhor, pois o Senhor está com eles. Aqueles que foram lavados pelo sangue carmesim, cantam o cântico novo com júbilo no coração.(Sl 100:1) Ali há uma mesa de banquetes, e todos os que combateram o bom combate do caminho agora se fartam junto ao Rei. Todos querem armar suas tendas e viver o eterno sábado. Ali há consolo, abrigo, bálsamo. Não há ferida que não seja curada. Mas também não há glória para homens. Só um é exaltado, o Ùnico que é digno. E todos se alegram com o Rei. Mas para se permanecer ali, ainda há um preço. O Santo lugar é um lugar santo, e é onde o Santo habita, por isso é necessário santidade. É necessário renúncia, obediência. O infiel é expulso, e não se acha mais o seu lugar. E ao fiel o Pai diz: tudo o que tenho é teu.(Lc 15:31) Ali não há temor nem medo, pois foram banidos pelo perfeito Amor. (I Jo 4:18) E os que ali vivem, não se deixam vender por nada, vivem em eterna adoração. Vivem acima das coisas terrenas que tanto atraem os corações ímpios. Pois o santo lugar, fica no mais alto monte, num monte chamado Sião.

Daniel S. Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário