Pesquisar neste blog

28 de dez de 2009

Isso é Guerra 2 - Paul Washer

Parte 1:



Parte 2:

5 de dez de 2009

Ouvindo a voz de Deus - A. W. Tozer


A sensibilidade espiritual não é uma qualidade isolada; pelo contrário, é mais um conjunto de qualidades, uma mescla de diversos elementos dentro da alma. Trata-se de uma afinidade, de uma tendência, de uma reação favorável, de um desejo de alcançar o mundo espiritual. Disso se conclui que ela pode existir em diversos graus, que podemos possuí-la um pouco mais ou um pouco menos, dependendo exclusivamente de nós mesmos. Pode crescer através do exercício, ou pode definhar pela negligência. Não é uma força soberana e irresistível que nos sobrevém de momento. Realmente é um dom de Deus, mas que deve ser reconhecido e cultivado como qualquer outro dom, para que possa cumprir o propósito porque nos foi dado.

O fato de esta verdade não estar sendo compreendida causa muitas e sérias falhas entre os evangélicos de hoje. A idéia de se cultivar e exercitar a receptividade espiritual, tão importante para os santos da antiguidade, atualmente não tem mais lugar no quadro geral da nossa vida cristã. Geralmente consideramos esse processo muito lento e simples demais. Queremos uma ação mais rápida. Uma geração de crentes que cresceram apertando botões e lidando com máquinas automáticas, impacienta-se perante métodos mais lentos e menos diretos para atingir os seus alvos. Temos procurado aplicar os métodos mecânicos de nossa época às nossas relações com Deus. Lemos um capítulo da Bíblia, temos um breve momento devocional que logo encerramos afobadamente, e procuramos preencher nosso vazio interior indo a uma reunião evangélica ou ouvindo mais uma história emocionante, relatada por um aventureiro religioso, que tenha acabado de acabado de voltar de algum lugar distante.

17 de nov de 2009

Livro - Seu destino é a cruz - Paul E. Billheimer


Excelente livro para quem quer viver o verdadeiro evangelho e para quem busca uma vida cristã profunda. Um dos melhores livros sobre o tema. É a pregação do evangelho da cruz, infelizmente esquecido em nossos dias...

Sinopse: Em Seu Destino é a Cruz, o Dr. Paul E,Billheimer , evangelista e veterano mestre da Bíblia pelo rádio, proclama a verdade libertadora do poder da vida crucificada. Mediante o Calvário Deus está a dizer-nos; Este é o trono do universo, não somente para Cristo; ele é o único caminho do poder, da autoridade e do governo para todos.O autor acrescenta: “As únicas pessoas que têm verdadeira autoridade sobre Satanás são as que decidem permanecer na cruz, permitindo que ela as liberte de toda a busca, serviço e promoção do ego. Satanás não pode tocar-nos quando estamos na cruz.”

Editora Vida

Obs: Parece-me que não está sendo mais publicado. Você pode fazer o download em um dos links seguintes: http://www.mediafire.com/?lwzd0dynanm ou http://www.mediafire.com/?xmzng15fodt

Não me chamem de Bispo!!!


Fonte: Igreja Simples

Wesley era conhecido por seu temperamento equilibrado e disposição calma. Havia, porém, algumas coisas que conseguiam “tirá-lo do sério”.

Uma das ocasiões em que Wesley perdeu a calma foi quando surgiu um incidente envolvendo os dois homens de confiança que estavam à frente do trabalho missionário na recém-nascida república dos Estados Unidos da América, Francis Asbury e Thomas Coke.

Em 1784, Wesley havia autorizado a organização das sociedades metodistas na América como uma igreja independente da Igreja Anglicana (embora esse nunca fosse o seu desejo) e a ordenação de Asbury e Coke como superintendentes para servir às igrejas naquele continente. Ao invés de usar o termo indicado por Wesley, eles passaram a adotar o título de bispo.

Em 1788, Wesley escreveu uma carta indignada para Francis Asbury, que seria a última comunicação entre os dois:

… Mas em um ponto, meu querido irmão, estou um pouco receoso de que tanto o Doutor [Thomas Coke] quanto você difiram de mim. Eu me esforço para ser pequeno – vocês para serem grandes. Eu me arrasto no chão – vocês se empertigam. Eu fundo uma escola – vocês uma faculdade! Sim, e ainda colocam nela seus próprios nomes [Cokesbury College, derivado de Coke e Asbury]. Oh, tomem cuidado! Não procurem se tornar grandes! Que eu seja nada e Cristo seja tudo em todos!

Um exemplo disso, dessa sua grandeza, tem-me causado grande preocupação. Como você pode, como você ousa permitir que seja chamado Bispo? Eu estremeço, tenho arrepios só de pensar em tal coisa! Que os homens me chamem de patife, de tolo, de canalha, e ficarei contente; mas jamais, por meu consentimento, me chamarão de Bispo! Por amor a mim, por amor a Deus, por amor a Cristo, coloque um fim nessa história. [...]

Dessa forma, meu querido Franky, tenho dito tudo que está no meu coração. E que estas palavras, quando eu não mais estiver aqui, possam dar testemunho da sinceridade com que sou…

Seu afetuoso amigo e irmão,
John Wesley

A carta não mudou o ponto de vista dos líderes metodistas na América nem a prática usada até hoje na igreja fundada por John Wesley.
Fonte: Revista Impacto, edição 48.

9 de nov de 2009

Marcha pra Jesus - O que você acha?

O irmão Pablo Silva participou do protesto na marcha para Jesus "Voltemos ao Evangelho puro e simples. O $how tem que parar", juntamente com outros 7 protestantes corajosos. Na ocasião, ele filmou um documentário a respeito do protesto e disponibilizou a primeira parte do mesmo. Foi durante a Marcha Para Jesus, em 02 de Novembro de 2009. O mais impressionante foi a reação: insultos e ameaças.
Se quiserem saber mais detalhes podem ler no Blog de um dos participantes: (http://cidoido.blogspot.com/2009/11/protestante-por-um-dia.html ).

Você é cristão ?- Orlando M. Rodrigues


Extraído do blog:
Blog do Reverendo Orlando

Esta pergunta parece ser muito simples; todavia, não podemos respondê-la sem uma boa reflexão. Algumas pessoas já estiveram na perplexidade de precisar respondê-la e titubearam visivelmente.

Uma resposta imediata a essa pergunta, depende de uma experiência clara de conversão e das implicações resultantes do nosso relacionamento com Cristo.O que é ser cristão, senão, viver unido a Cristo, sob a orientação da palavra do seu evangelho, no poder do Espírito, para a glória de Deus. Ou ainda, ser cristão é ser de Cristo e tê-lo como Salvador, Mestre e Senhor.Não é, simplesmente, trazer ao pescoço uma cruz, ou fazer o sinal da cruz (coisa que até o Lampeão fazia, em todas as cruzes e capelas que encontrava). Não é colocar no carro um adesivo que mencione palavras de Jesus. Não é tornar-se membro e frequentador de uma igreja cristã. Não é contribuir, de alguma forma, para a propagação do evangelho. Não é ser imitador (ter como exemplo) ou admirador da pessoa de Cristo.

Não é sacrificar-se ou trabalhar para ele; mas, antes de tudo, ser dele.Quando passamos a ser dele e, dessa forma nos relacionamos com ele, tudo que é nosso passa a ser dele e tudo que é dele passa a ser nosso. Quando nos unimos a Cristo, nos envolvemos com ele, consequentemente, nos comprometemos com os mais altos propósitos do seu reino. O que você irá ser, ter ou fazer, tudo enfim, será para a glória do Senhor, progresso e expansão de sua causa. Até mesmo as trivialidades como comer ou beber (I Co.10.31), estudar ou brincar, pensar ou sonhar, trabalhar ou folgar, na alegria ou tristeza, na exultação ou provação, vivendo ou morrendo (Rm.14.8), o Senhor Deus deverá ser exaltado e dignificado na nossa vida (IICo.5.15).Tornam-se dele: o nosso corpo (ICo.6.19-20), os nossos membros (Rm.6.13), a nossa mente (IICo.10.5), as nossas atividades (ICo.10.31), tudo, enfim, que possuimos (Rm.11.36) e nós mesmos (ICo1.30, 3.21-23). Poderemos, então, dizer que a nossa vida estará sob o controle, orientação e supervisão do Espírito, completamente, definitivamente - Rm.8.26-27. Vamos orar no Espírito e andar no Espírito e não poderá ser diferente. 

Muito do que temos hoje, nas igrejas por aí, não passa de religiosidade superficial, sentimentalismo fanatizado, legalismo, eclesiasticismo, mas não vida cristã que é coisa bem diferente. Ser cristão é estar comprometido com Cristo, por meio de um pacto de sangue (ICo.22.23-29), em que ele deu a sua vida por nós e devemos dar a nossa vida por ele (Hb.12.1-4,At.12.1-2,At.20.23-24). Muito do que anda por aí não passa de aparência de piedade, imitação barata da vida cristã, causando asco e náusea àquele que sonda e conhece os corações dos homens - Ap.3.15-16.
"De Deus não se zomba". Louvado seja para sempre o nome do Senhor!

5 de nov de 2009

Você deseja Deus? - Paul Washer



1 de nov de 2009

Frases 13 - A. W. Tozer

"A falha do evangelismo atual reside na sua abordagem humanista. Trata-se de um esforço para ser super natural, mas nunca é o bastante. Esse evangelho é francamente fascinado com o grande, barulhento, e agressivo mundo com seus grandes nomes, o seu culto ao vencedor, a sua riqueza e sua pompa berrante. Para os milhões de crentes que estão sempre, ano após ano, desejando a glória mundana, mas nunca conseguiram atingi-la, o moderno evangelho oferece rápido e fácil atalho para o desejo de seus corações. Paz de espírito, felicidade, prosperidade, aceitação social, publicidade, sucesso no esporte , negócios, campo do entretenimento e porventura ocasionalmente sentar-se à mesa com alguma celebridade; tudo isso na terra e depois, finalmente o céu. Certamente nenhuma companhia de seguros poderia oferecer algo parecido com isso."

26 de out de 2009

O Mover De Deus? - David Wilkerson


25 de out de 2009

Outros evangelhos, heresias e doutrinas estranhas



Este é um texto que escrevi acerca das heresias que têm contaminado a Igreja nos nossos dias. Esforcei-me para julgar tudo pela luz das Escrituras. Espero que abençoe e edifique.

“Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.” Gl 1:8-9


I.                  O alerta bíblico

Como cristãos sinceros, nosso alvo é conhecer cada vez mais profundamente a Cristo, viver uma vida que agrade ao nosso Senhor e desfrutar da Sua presença, e para isso, buscamos conhecimento nas Escrituras, com a experiência de outros irmãos e com o próprio Deus.

Entretanto, a Bíblia diversas vezes nos adverte de que podem existir ensinamentos e doutrinas errados em nosso meio (Mt 7:15, Mt 24:11,24, II Co 11:13-15, I Jo 4:1). Também nos avisa de mestres e profetas que ensinariam mentiras ao povo de Deus. Por quê? Primeiramente devemos nos lembrar que o Diabo é o Pai da mentira e desde o Éden tem enganado o homem, tentando destruí-lo. O Diabo também sempre tentou destruir a Igreja de diversas formas e uma delas é através do engano, utilizando-se da inocência e ignorância de alguns e da malícia de outros. A falta do conhecimento leva o homem à destruição (Os 4:6), mas o conhecimento da verdade o liberta (Jo 8:32).

11 de out de 2009

Livro - Humildade: A beleza da santidade - Andrew Murray



Será que sabemos realmente o que é humildade? Através de diversos exemplos bíblicos, este livro nos mostra uma vida de profunda humildade que todo cristão sincero deve buscar para seu crescimento espiritual e para a glória de Deus.


Sinopse: O orgulho é a raiz de todo pecado e mal, a porta, o nascimento e a maldição do inferno, a explicação de toda decadência e fracasso. O orgulho da “santidade” é o mais sutil de todos os males, enquanto a humildade é o único solo fértil no qual a graça de Deus pode produzir abundante fruto. O mal não pode ter início a não ser pelo orgulho, e não ter fim a não ser pela humildade. A verdade é esta: o orgulho tem de morrer em você, ou nada dos céus poderá viver em você. A humildade tem de lançar a semente, ou não pode haver colheita nos céus.
Editora dos Clássicos

Frases 12 - Arthur W. Pink


"O amor é a mais soberana de todas as virtudes cristãs."

"A medida de nosso amor pelos outros pode ser em grande parte determinada pela freqüência e intensidade de nossas orações em favor deles."

"Assim como a desesperança do pecador de receber qualquer ajuda de si mesmo é o primeiro requisito para uma conversão real, também a perda de toda confiança em si mesmo é o principal fator para o crescimento do crente na graça."

28 de set de 2009

Suponha que um ímpio vá para o céu - J. C. Ryle

27 de set de 2009

Jonathan Edwards e o avivamento


Grande pregador dos EUA, ingressou no ministério em 1726. Seu primeiro pastorado foi em Northampton, Massachusetts, onde serviu até 1750. Foi contemporâneo e atuante num grande despertamento espiritual e tido por alguns como o maior teólogo da América do Norte. Era pregador excelente, com célebres sermões publicados: Deus Glorificado na Dependência do Homem (1731), Uma Luz Divina e Sobrenatural (1733) e o mais famoso, Pecadores nas Mãos de um Deus Irado (1741).

Sobre o sermão mais famoso, baseou-se em Deuteronômio 32:35. Depois de explicar a passagem, acrescentou que nada evitava que os pecadores caíssem no inferno, a não ser a própria vontade de Deus. Afirmou que Deus estava mais encolerizado com alguns dos ouvintes do que com muitas pessoas que já estavam no inferno. Disse que o pecado era como um fogo encerrado dentro do pecador e pronto, com a permissão de Deus, a transformar-se em fornalhas de fogo e enxofre, e que somente a vontade de Deus indignado os guardava da morte instantânea.

Continuou, então, aplicando ao texto ao auditório: Aí está o inferno com a boca aberta. Não existe coisa alguma sobre a qual vós vos possais firmar e segurar… há, atualmente, nuvens negras da ira de Deus pairando sobre vossas cabeças, predizendo tempestades espantosas, com grandes trovões. Se não existisse a vontade soberana de Deus, que é a única coisa para evitar o ímpeto do vento até agora, seríeis destruídos e vos tornaríeis como a palha da eira… O Deus que vos segura na mão, sobre o abismo do inferno, mais ou menos como o homem segura uma aranha ou outro inseto nojento sobre o fogo, durante um momento, para deixá-lo cair depois, está sendo provocado ao extremo… Não há que admirar, se alguns de vós com saúde e calmamente sentados aí nos bancos, passarem para lá antes de amanhã…

O sermão foi interrompido pelos gemidos dos homens e os gritos das mulheres; quase todos ficaram de pé ou caídos no chão. Durante a noite inteira a cidade de Enfield ficou como uma fortaleza sitiada. Teve início um dos maiores avivamentos dos tempos modernos na Nova Inglaterra.

Extraído de: Campos de Boaz

21 de set de 2009

Livro - A face oculta do amor - Marcos S. Borges (Coty)


Este é um dos melhores livros que já li sobre o tema sensualidade e amor. O livro é atual, baseado nas Escrituras e escrito por um dos diretores da Jocum. Bom seria se todos os adolescentes e jovens cristãos hoje lessem esse livro.

"Os dias que vivemos têm sido caracterizados por uma atração terrível do espírito de sensualidade. Nosso País tem sido conhecido como uma terra de lascívia e hedonismo. Creio que o livro “A Face Oculta do Amor” é uma poderosa revelação para o resgate de nossa nação e a plena libertação dos filhos de Deus dos braços do espírito de sensualidade. Este livro é uma resposta que busca não só apontar os problemas, mas resgatar valores de pureza e santidade. A leitura destes princípios conduzirão a Igreja a ser um testemunho de fé como a “Noiva do Cordeiro”, onde cada membro pode e deve viver longe da imoralidade e das ciladas do espírito de sensualidade. “A Face Oculta do Amor” não será mais oculta a você depois de conhecer estas realidades. Oro para que cada leitor seja verdadeiramente livre, conhecendo a Verdade, Jesus." Pastor Márcio Valadão Igreja Batista da Lagoinha (Belo Horizonte - MG).

Loja da Jocum

Frases 12 - A. W. Tozer


“Ó Deus, sê exaltado sobre meus bens. Nenhuma das riquezas desta terra parece ter valor para mim senão que Tu sejas glorificado em minha vida. Sê exaltado sobre minhas amizades. Estou decidido colocar-te acima de todas as coisas, ainda que eu seja abandonado e fique sozinho no meio da terra. Sê exaltado sobre tudo o que me dá conforto. Ainda que isto signifique perder o bem-estar físico e levar cruzes pesadas, serei fiel à promessa feita neste dia em Tua presença. Sê exaltado sobre minha reputação. Faze-me desejar agradar-Te, mesmo que, consequentemente, eu tenha de mergulhar na escuridão e o meu nome seja esquecido como um sonho. Eleva-Te, ó Senhor, ao lugar que te é devido, sobre minhas ambições, sobre tudo o que desejo e não desejo, sobre minha família, sobre minha saúde e até sobre minha própria vida. Que eu diminua para que Tua majestade cresça, que eu desça para que Tua majestade se erga. Vai adiante de mim como Tu foste para Jerusalém montado em um humilde jumentinho, e permita que eu ouça os teus filhos clamarem à Ti: “Hosana nas alturas”.”

19 de set de 2009

A Cruz é Algo Radical - A. W. Tozer


A cruz de Cristo é a coisa mais revolucionária que já apareceu entre os homens.

A cruz dos velhos tempos Romanos não conhecia acordo; ela nunca fez concessões. Ela venceu todas as suas disputas matando o seu oponente e silenciando- o de uma vez para sempre. Ela não poupou Cristo, mas o matou assim como os outros. Ele estava vivo quando O penduraram naquela cruz e completamente morto quando O tiraram dela seis horas mais tarde. Isso era a cruz, a primeira vez que apareceu na história Cristã.

Depois que Cristo foi levantado da morte os apóstolos saíram para pregar Sua mensagem, e aquilo que pregavam era a cruz. Onde quer que eles fossem pelo mundo afora carregavam a cruz e o mesmo poder revolucionário ia com eles. A mensagem radical da cruz transformou Saulo de Tarso e o mudou de um perseguidor de Cristãos para um crente gentil e um apóstolo da fé. O poder da cruz transformou homens maus em bons. Ela livrou a longa escravidão do paganismo e alterou completamente toda a perspectiva moral e mental do mundo Ocidental. Tudo isto ela fez e continua a fazer enquanto for permitido permanecer sendo o que era originalmente, uma cruz.

Amor por Cristo (em espanhol) - John MacArthur



Seja um escravo de Cristo - John Macarthur

Livro - O Homem Que Deus Usa - Charles H. Spurgeon, Watchman Nee e outros


Livro que fala sobre a vida cristã profunda. Alimento sólido para aqueles que desejam se entregar a Deus totalmente. Recomendo apenas aos cristãos mais maduros na fé.

Sinopse:
O Homem que Deus Usa revela o caminho estreito da vida cristã profunda a ser percorrido pelos que amam o Senhor e desejam servir, bem como os perigos e dificuldades que serão encontrados.

Esse caminho, que começa com nossa entrega absoluta a Deus, é freqüentemente permeado de sofrimentos, dores e provações, pois Deus usará Seu servo para desafiar Satanás. Tal pessoa torna-se alvo das atenções do príncipe das trevas, como aconteceu com Jó.

Justamente aí há um grande perigo: ficamos escandalizados com o Senhor, acalentando insatisfação pela maneira misteriosa como Ele nos tem tratado, e, desistimos, caindo na sutil armadilha do inimigo e tornando-nos inúteis para Deus. Aqueles, porém, que perseverarem terão o privilégio de participar dos sofrimentos de Cristo a favor de Sua Igreja e, assim, demonstrar seu amor por Ele. Diante desse maravilhoso chamamento celestial, só nos resta sermos derrotados e vencidos pelo Amado de nossa alma, e falarmos:

Torna-me um cativo, Senhor!
Você está disposto? Deus pode contar com você?

As mensagens deste livro, tais como as pedras preciosas, são resultado de extremo calor e pressão a que seus autores foram submetidos, tornando-se, por isso, verdadeiros tesouros espirituais e um teste para a experiência cristã e para o serviço que os homens fazem em nome de Deus.

Editora dos Clássicos

17 de set de 2009

Frases 11 - A. W. Tozer


"Ó Cristo, nosso Senhor, Tu tens sido nossa habitação em todas as gerações. Como coelhos correndo para a toca, assim corremos em Tua direção em busca de segurança; como pássaros chegando de suas viagens, assim nos achegamos a Ti em busca de paz. Oportunidades e mudanças nos absorvem em nosso pequeno mundo formado pela natureza e por homens, mas em Ti não encontramos inconstância nem sombra de desvio. Descansamos em Ti sem medo ou incerteza e nos deparamos com o amanhã sem ansiedade. Amém."

12 de set de 2009

CORRA! - Carter Conlon

9 de set de 2009

Os poucos que serão salvos - John Piper, Paul Washer, Leonard Ravenhill, Tim Conway e Charles Leiter

Leia Lc 13:22-24 para entender melhor.

Livro - Simplesmente como Jesus - Max Lucado


Max Lucado é conhecido por ser um excelente escritor, e este livro não é exceção. Escrito em uma linguagem simples e envolvente, Max mostra que Deus ama o homem mas também deseja transformá-lo. Livro ideal para novos convertidos.

Sinopse: O desejo de Deus, seu plano, seu objetivo supremo, é fazer você à imagem de Cristo. Mas como ocorre esta mudança? Se Deus deseja que eu seja como Jesus, porque ainda me pareço comigo mesmo? Neste livro o autor mostra porque Deus quer mudar o homem e revela seus métodos de transformação. Deus o ama do jeito que você é, mas não quer deixá-lo da mesma maneira. Ele quer que você seja simplesmente como Jesus.

Editora CPAD: http://www.cpad.com.br/

Frases 10 - Leonard Ravenhill


"Se somos fracos na oração, nós somos fracos em toda a parte."


"Um homem pecador pára de orar, um homem de oração pára de pecar."

"A única razão pela qual não temos avivamento é porque estamos dispostos a viver sem ele!"

"Como você pode derrubar as fortalezas de Satanás, se você não tem nem a força para desligar a TV?"

8 de set de 2009

Desligue seu ídolo (TV) - Paul Washer e David Wilkerson

6 de set de 2009

Precisamos Novamente de Homens de Deus - A. W. Tozer


A igreja, neste momento, precisa de homens, o tipo certo de homens, homens ousados. Afirma-se que necessitamos de avivamento e de um novo movimento do Espírito; Deus, sabe que precisamos de ambas as coisas. Entretanto, Ele não haverá de avivar ratinhos. Não encherá coelhos com seu Espírito Santo.

A igreja suspira por homens que se consideram sacrificáveis na batalha da alma, homens que não podem ser amedrontados pelas ameaças de morte, porque já morreram para as seduções deste mundo. Tais homens estarão livres das compulsões que controlam os homens mais fracos. Não serão forçados a fazer as coisas pelo constrangimento das circunstâncias; sua única compulsão virá do íntimo e do alto.


Esse tipo de liberdade é necessária, se queremos ter novamente, em nossos púlpitos, pregadores cheios de poder, ao invés de mascotes. Esses homens livres servirão a Deus e à humanidade através de motivações elevadas demais, para serem compreendidas pelo grande número de religiosos que hoje entram e saem do santuário. Esse homens jamais tomarão decisões motivados pelo medo, não seguirão nenhum caminho impulsionados pelo desejo de agradar, não ministrarão por causa de condições financeiras, jamais realizarão qualquer ato religioso por simples costume; nem permitirão a si mesmos serem influenciados pelo amor à publicidade ou pelo desejo por boa reputação.

5 de set de 2009

The Revival Hymn Redux (em inglês) - Pregadores diversos


Este vídeo é uma versão reduzida e aprimorada do famoso "The Revival Hymn" (também postado neste blog). É um uma compilação de trechos de sermões pregados em diversas décadas, entre os anos 50 e 80, por verdadeiros homens de Deus: Paris Reidhead, Leonard Ravenhill, A. W. Tozer, Duncan Campbell e outros. Seu tema é avivamento e a glória de Deus. Vale a pena ver!

2 de set de 2009

Arrependimento - Dwight L. Moody



Eu não me dirijo somente ao não convertido, porque sou daqueles que crêem que a igreja precisa se arrepender muito antes que muita coisa de valor possa ser feita no mundo. Acredito firmemente que o baixo padrão de vida cristã está mantendo muita gente no mundo e nos seus pecados. Se o incrédulo vê que o povo cristão não se arrepende, não se pode esperar que ele se arrependa e se converta de seu pecado. Eu tenho me arrependido dez mil vezes mais depois que conheci a Cristo, do que em qualquer época anterior, e penso que a maioria dos cristãos precisa se arrepender de alguma coisa.

Assim, quero pregar tanto para os cristãos como para os não-convertidos, tanto para mim mesmo quanto para aquele que nunca conheceu a Cristo como seu Salvador.

Há cinco coisas que fluem do verdadeiro arrependimento:
1. Convicção.
2. Contrição.
3. Confissão de pecado.
4. Conversão.
5. Confissão de Cristo diante do mundo.

1 de set de 2009

Livro - Vida que nasce da morte - Ted A. Hegre


Este é o livro mais completo sobre vida cristã que conheço. Fala sobre cruz, tentação, pecado, Espírito Santo, disciplina, sacrifício, quebrantamento, intercessão, combate e cura divina. Enfim, como ter uma vida vitoriosa. Muito recomendado!

Sinopse: Alguma vez já lhe ocorreu que a sua vida cristã não corresponde ao padrão descrito na Bíblia? Nosso intento é obedecer a Deus, amar os irmãos e o nosso próximo, e ver em nossa fé o vogor que ela devia ter... mas isso parece um sonho impossível. Em VIDA QUE NASCE DA MORTE você conhecerá a experiência do autor e descobrirá como a aplicação dos 3 aspectos-benção da cruz poderá revolucionar a sua vida levando-a em uma renovada comunhão com Deus, e trazendo-lhe vitória sobre o ego, Satanás e o pecado.

Frases 9 - A. W. Tozer

"Um cristão verdadeiro é uma pessoa estranha em todos os sentidos. Ele sente um amor supremo por alguém que ele nunca viu; conversa familiarmente todos os dias com alguém que não pode ver; espera ir para o céu pelos méritos de outro; esvazia-se para que possa estar cheio; admite estar errado para que posa ser declarado certo; desce para que possa ir para o alto; é mais forte quando ele é mais fraco; é mais rico quando é mais pobre; mais feliz quando se sente o pior. Ele morre para que possa viver; renuncia para que possa ter; doa para que possa manter; vê o invisível, ouve o inaudível e conhece o que excede todo o entendimento"

31 de ago de 2009

The Revival Hymn (em inglês) - Pregadores diversos



Este vídeo é uma compilação de trechos de sermões pregados em diversas décadas, entre os anos 50 e 80, por verdadeiros homens de Deus: Paris Reidhead, Leonard Ravenhill, A. W. Tozer, Duncan Campbell e outros. Seu tema é avivamento e a glória de Deus. É o vídeo mais inspirador que já vi na minha vida. Oro para que Deus incendeie seu coração e traga um genuíno avivamento para Sua glória!

28 de ago de 2009

Como pode o jovem saber se é vocacionado ou não? - Charles H. Spurgeon / John Newton



Em resumo, creio que a questão inclui principalmente três coisas:

"1. Um ardente e intenso desejo de empregar-se neste serviço. Entendo que o homem que uma vez foi movido pelo Espírito de Deus para este trabalho, irá preferi-lo, se lhe for acessível, a tesouros em ouro e prata. Assim é que, embora às vezes intimidado pelo senso da importância e das dificuldades do trabalho, comparadas com a sua grande insuficiência pessoal (pois é de presumir-se que um chamamento desta natureza, se realmente provém de Deus, será acompanhada de humildade e de auto-humilação), ele não poderá abandoná-lo. Afirmo que uma boa regra é indagar, neste ponto, se o desejo de pregar é o mais fervente nos centros vitais da estrutura do nosso ser, e quando estamos mais prostrados no pó perante o Senhor. Se é assim, é bom sinal. Mas se, como às vezes se dá, a pessoa está muito ansiosa por ser um pregador para outros, embora não exista em sua própria alma uma fome e uma sede da graça de Deus, então, é de temer que o seu zelo promana de um princípio egoístico, e não do Espírito de Deus.

Livro - Verdadeiras Profecias - A. W. Tozer


Este livro é uma compilação de escritos de um dos maiores pregadores americanos de todos os tempos: A. W. Tozer. Forte e impactante, as mensagens de Tozer são para quem quer ter um compromisso sério com Deus.

Sinopse: Christian Chen, um erudito estudioso da Bíblia nestes dias, reconhece que Tozer tem sido vastamente considerado como um dos profetas de maior projeção da Igreja do século 20. Mas o que temos feito com este profeta? Onde está Tozer em nosso cenário? Tozer foi lançado no cárcere! Suas mensagens, para os mais liberais, são ultrapassadas. Acatá-las seria nadar contra a maré do modismo. Os velhos conheciam Tozer, mas lamentavelmente, muitos se esqueceram dele. É possível que os jovens nunca tenham ouvido falar de tal homem. A onda hoje é guerra espiritual e uma teologia mais liberal, um atalho mais fácil, descartando a obra da cruz. Tozer incomoda. Ele destrói nossos castelos e ameaça nosso sucesso religioso. Muitos desvios espirituais hoje em dia poderão ser evitados se ouvirmos a voz de Deus por meio deste profeta.

Editora dos Clássicos

Frases 8 - João Calvino

"O primeiro fundamento da justiça é sem dúvida a adoração a Deus."

"Nada é mais perigoso do que nos juntarmos aos ímpios."

"A mortificação da carne é a vivificação do espírito."

24 de ago de 2009

Com tudo o que possuis, adquire a unção - Leonard Ravenhil


“Por mais erudito que um homem seja, por mais perfeita que seja sua capacidade de expressão, mais ampla sua visão das coisas, mais grandiosa sua eloqüência, mais simpática sua aparência, nada disso toma o lugar do fervor espiritual. É pelo fogo que a oração sobe aos céus. O fogo empresta asas à oração, dando-lhe acesso a Deus; comunica-lhe energias e torna-a aceitável diante do Senhor. Sem fogo não há incenso; sem fervor não há oração.”
E. M. Bounds

“Pela fé e pela oração, fortaleça as mãos frouxas e firme os joelhos vacilantes. Você ora e jejua? Importune o trono da graça e seja persistente em oração. Só assim receberá a misericórdia de Deus.”
João Wesley

16 de ago de 2009

Livro - Havia duas Árvores no Jardim - Rick Joyner

Este livro enriqueceu muito minha visão da Igreja, pois mostra a raiz dos conflitos dentro do meio cristão, entre aqueles que lutam com suas próprias forças para alcançar mérito próprio e agradar a Deus, e aqueles que rejeitam toda justiça própria abraçando a cruz de Cristo, e como o "bem" do homem pode ser mais danoso que o "mal". Muito bom!

Sinopse:
A Árvore do conhecimento do bem e do mal e a Árvore da vida representam o fundamental conflito entre o reino deste mundo e o reino de Deus. Se você tem se esforçado para entender a diferença entre carne e espírito... Se você está procurando um claro entendimento bíblico sobre autoridade espiritual... Se você luta contra o medo da rejeição e deseja conhecer o amor de Deus... Se você está disposto a superar o pecado e glorificar a Deus com a sua vida... Você será ajudado por este livro!
Editora Dynamus: http://www.dynamus.com.br/

Frases 7 - Richard Baxter

"Mate o pecado antes que ele o mate."

"A cruz precisa ser carregada; não temos liberdade de passar por cima dela ou de evitá-la."

"O céu pagará qualquer prejuízo que possamos sofrer para ganhá-lo; mas nada pode pagar o prejuízo de perdê-lo."

15 de ago de 2009

Podemos Confiar nos 66 Livros da Bíblia? - John Piper

Livro - A Unção Profética - John Bevere

Excelente livro que fala, não de profecias hereges como as que têm surgido ultimamente, mas fala sobre arrependimento e mansidão, sobre a unção de Deus que nos capacita a viver uma vida de santidade e não nos conformarmos com os padrões do mundo. Que Deus levante verdadeiros profetas novamente!

Sinopse:
A Igreja que estará de pé no 'grande e terrível dia do Senhor' não pactua com o mundanismo.
É uma Igreja comprometida com o evangelho, austera e cheia da autoridade do Espírito Santo.
Capaz de 'chamar o pecado pelo nome', conduz pecadores ao verdadeiro arrependimento.
Seu clamor produz vidas transformadas e sedentas de comunhão com o verdadeiro Deus.
Em A Unção Profética, John Bevere, autêntico profeta dos nossos dias, desafia-nos a um profundo exame de consciência.
Como João Batista, clama por arrependimento e verdadeiro compromisso com o Senhor.
Exorta a Igreja a guardar-se pura e imaculada, luz e sal, num mundo que agoniza sob a tirania de Satanás.

Editora Atos: http://www.editoraatos.com.br/

Frases 6 - A. W. Tozer

"É impossível alguém se arrepender de fato sem ter uma profunda decepção consigo mesmo"

"Deus não se curvou à nossa pressa nervosa, nem adotou os métodos de nossa era imediatista. o homem que deseja conhecer a Deus precisa dedicar-lhe tempo. muito tempo"

"Não sou autoridade no ensino de homem algum; nunca procurei ser isso. Sirvo-me de ajuda aonde a encontro e disponho meu coração para apascentar onde as pastagens estejam mais verdejantes. Só estipulo uma condição; o meu mestre tem que conhecer a Deus...e Cristo deve ser tudo em todos para ele. Se um homem tem somente doutrina correta para me oferecer, decerto que me escapo na primeira pausa para procurar a companhia de alguém que tenha visto pessoalmente, QUÃO AMÁVEL É O ROSTO DAQUELE QUE É A ROSA DE SARON E O LÍRIO DOS VALES. Tal homem pode ajudar-me, e nenhum outro mais..."

Frases 5 - A. W. Tozer

"penso que minha filosofia seja esta: tudo está errado até que Deus endireite"

"para orar com eficiência, precisamos querer o que Deus quer - isso e somente isso é orar conforme a vontade de Deus"

"é muito improvável que Deus use uma pessoa que nunca sofreu profundamente uma dor"

"Por isso enfrentamos a banalização do evangelho hoje em dia,muitos pastores almejam um minstério "glorioso",ms fogem quando precisam passar pelo calvário."

"Há muitos vagabundos religiosos em nossos dias que não querem estar presos a coisa alguma..."

12 de ago de 2009

Frases 4 - A. W. Tozer



Convém-nos perfeitamente fazer de Deus o nosso tudo, concentrando-nos nEle, e sacrificando tudo por causa dEle.


David Wilkerson - Um Chamado Para a Angústia (resumo)

O Trono de Julgamento de Cristo e o mundanismo na Igreja - Leonard Ravenhill

Perseguição e Grande Avivamento - Paul Washer

Cheio do Espírito Santo - Paul Washer

O Martírio de Policarpo - John Piper

10 de ago de 2009

Frases 3 - A. W. Tozer

"O homem, cujo tesouro é o Senhor, tem todas as coisas concentradas n' Ele. Outros tesouros comuns talves lhe sejam negados, mas mesmo que lhe seja permitido desfrutar deles, o usufruto de tais coisas será tão diluído que nunca é necessário à sua felicidade. E se lhe acontecer de vê-los desaparecer, um por um, provavelmente não experimentará sensação de perda, pois conta com a fonte, com a origem de todas as coisas, em Deus, em quem encontra toda satisfação, todo prazer e todo deleite. Não se importa com a perda, já que, em realidade, nada perdeu, e possui tudo em uma pessoa - Deus - de maneira pura, legítima e eterna".
(A. W. Tozer, em "Seguindo Deus de Perto)

6 de ago de 2009

Breve Biografia de A. W. Tozer


Nascido em Newburg, Pensilvânia, Estados Unidos, em 21 de abril de 1897.

Sua pregação e seus livros concentraram-se inteiramente em Deus. Ele não tinha tempo para mercenários religiosos que inventavam novas formas para promover suas mercadorias e subir nas estatísticas

“Penso que minha filosofia seja esta: tudo está errado até que Deus endireite.”

Esta afirmação do Dr. A. W. Tozer resume perfeitamente a sua crença e o que ele tentou realizar durante seus anos de ministério. Sua pregação e seus livros concentraram-se inteiramente em Deus. Ele não tinha tempo para mercenários religiosos que inventavam novas formas para promover suas mercadorias e subir nas estatísticas. Tozer marchou ao ritmo de uma batida diferente e, por esta razão, normalmente não acompanhava os passos de muitas das pessoas que participavam de desfiles religiosos.

No entanto, foi esta excentricidade cristã que nos fez amá-lo e apreciá-lo. Ele não tinha receio em apontar o que era errado. Nem hesitou em dizer como Deus poderia endireitar todas as coisas. Se é que um sermão pode ser comparado à luz, então, A. W. Tozer emitia raios laser do púlpito, um feixe de luz que penetrava o nosso coração, exauria nossa consciência, expunha nossos pecados e nos fazia clamar: “O que devo fazer para ser salvo?” A resposta era sempre a mesma: entregar-se a Cristo; procurar conhecê-lo de forma pessoal; crescer para tornar-se como Ele.

Livro - Cinco Votos Para Obter Poder Espiritual - A. W. Tozer


Este pequeno livreto foi escrito para aqueles que desejam ter uma vida de comunhão mais profunda com Deus. Tozer nos dá alguns conselhos sobre compromisso e disciplina e fala sobre o que é uma vida cheia do Espírito. Um dos melhores livretos que já li.

Sinopse:
"Há muitos vagabundos religiosos no mundo que não querem estar amarrados a coisa alguma. Eles transformaram a graça de Deus em libertinagem pessoal. As grandes almas, entretanto, são aquelas que se aproximam reverentemente de Deus compreendendo que em sua carne não habita bem algum. Não obstante, visto que crêem em Deus, com reverência assumem certos votos sagrados. Esse é o caminho para o poder espiritual. Nunca se Defenda e Nunca Aceite Qualquer Glória são alguns desses votos."

Editora dos Clássicos

1 de ago de 2009

Teologia da Prosperidade - John Piper

31 de jul de 2009

Sobre Leonard Ravenhill

Leonard Ravenhill nasceu em 1907 na cidade de Leeds, em Yorkshire, Inglaterra. Após sua conversão a Cristo, ele foi treinado para o ministério na Faculdade Cliff. Logo tornou-se evidente que evangelismo era seu forte, e ele se envolveu nisto com muito vigor e poder. Depois ele veio a se tornar um dos pioneiros em evangelismo ao ar livre da Inglaterra no século 20. Suas reuniões nos anos da Guerra arrastaram multidões na Inglaterra, e grande número dos seus convertidos não apenas seguiram o Salvador para o Reino, mas também para o ministério e para o campo missionário no mundo. Em 1939 casou-se com uma enfermeira irlandesa chamada Martha. Juntos eles tiveram três filhos. Paul e David são pastores e Philip é professor. Ao contrário de muitos evangelistas de hoje, as conversões causadas pela pregação de Leonard eram geralmente conversões duráveis. Isto foi porque ele não diminuiu a força e a eficácia do evangelho enquanto pregava. Quando idoso, Leonard e sua família se mudaram para os Estados Unidos, onde trabalhou com a Bethany House Publishers. Nos anos 80, Leonard e sua família se mudaram para perto de Lindale, Texas, a uma curta distância do Last Days Ministries. Leonard regularmente dava aulas no Last Days Ministries, e foi um mentor do falecido Keith Green.


A. W. Tozer, que foi um amigo de Leonard, diz sobre Leonard: "O débito que o povo de Deus tem para com esses servos dele é tão vultoso que nunca poderá ser pago. E o curioso é que eles raramente pensam em saldá-lo enquanto esses indivíduos estão vivos. Em compensação, a geração seguinte o exalta, escreve livros sobre seus feitos, como se, instintivamente e meio sem jeito, quisesse desincumbir-se de uma obrigação que a geração anterior praticamente ignorara. "Quem conhece Leonard Ravenhill vê nele esse especialista espiritual, esse homem enviado por Deus, não para realizar um ministério na obra regular da igreja, mas para fazer frente aos profetas de Baal, desafiando-os em seu próprio território, para envergonhar os negligentes sacerdotes que oficiam no altar, para enfrentar os falsos profetas, e advertir o povo que está sendo desviado do caminho certo por influência deles. "Um homem como esse às vezes não é companhia muito apreciada”.

30 de jul de 2009

Erótico versus Espiritual - A. W. Tozer


E este texto foi escrito há uns 50 anos...

A época em que vivemos poderá ficar conhecida como a Idade do Erotismo. O amor sexual se tornou uma forma de culto. Entre os homens civilizados, Eros tem mais adoradores do que qualquer outro deus. Para milhões, o erótico tem substituído completamente o espiritual.

Os fatores

Não é difícil determinar como o mundo caiu nesse estado. Fatores contribuintes são as emissoras de rádio e os aparelhos de som, que podem disseminar uma música de amor por todo um país em poucos dias; o cinema e a televisão, que proporcionam a toda uma população a oportunidade de banquetear-se com mulheres sensuais e jovens soberbos unidos em abraços apaixonados (nas salas de visitas de lares “cristãos”, aos olhos de crianças inocentes!); menos horas de trabalho e a multiplicação de máquinas automáticas que resultam no aumento do lazer para todos.

Juntemos a tudo isso dezenas de campanhas de propaganda concebidas inteligentemente, que transformam o sexo em isca não muito bem disfarçada, a fim de atrair compradores para quase todos os produtos imagináveis; os escritores infames que consagraram suas vidas à obra de tornar conhecidas as levianas e falsas nulidades, utilizando personagens que têm carinha de anjo e moral de prostituta; novelistas sem consciência que alcançam fama duvidosa e enriquecem à custa da perniciosa ocupação de drenar do esgoto de sua alma podridões literárias que entretêm as massas. Tudo isso nos mostra como Eros conseguiu triunfar sobre o mundo civilizado.

28 de jul de 2009

Dez siclos e uma camisa (Ten Shekels and a Shirt) - Paris Reidhead

Esta é uma das maiores mensagens do século vinte, e marcou profundamente minha vida e toda minha visão do Cristianismo. Que você também seja impactado com a profunda mensagem de Paris Reidhead. Mensagens como essa são muito raras nos dias de hoje, pois são uma afronta ao evangelho utilitário e nos força a tomar uma decisão: afinal de contas, Deus é um meio ou o fim em Si mesmo?

O monte e o santo lugar - Daniel S. Oliveira



“Quem subirá ao monte do SENHOR? Quem há de permanecer no seu santo lugar?” Sl 24:3

Uma pergunta é feita: Quem subirá ao monte do SENHOR? E uma multidão empolgada levanta as mãos. Todos querem subir ao monte. Há um alvoroço na multidão, empurra daqui, dali. Todos correm para subir ao monte. Todos querem estar lá no alto, estar por cima, acima dos outros, sair da mediocridade. Seus olhos brilham quando olham o monte. Dizem em seus corações: Quando chegar lá, serei alguém. Todos vão me ver. O monte é admirado, desejado, afinal de contas, só os “homens de Deus” sobem ao monte. O monte é um lugar alto. Estar no monte, é estar acima dos outros. É destacar-se na multidão. É aparecer. É o sonho de todos que querem ser alguma coisa. Estar no monte, é tornar célebre o seu nome!(Gn 11:4) Existem duas classes de pessoas: os que estão no monte, e os que não estão no monte. Se você não está no monte, você não é ninguém.
Existem aqueles, que se aproveitam dessa correria. Viram nisso uma oportunidade. Ensinam como subir mais facilmente, qual o melhor caminho, o melhor atalho, tudo isso, é claro, que em troca de uma pequena quantia... Há alguns que já subiram e agora ensinam outros a subir também. Faz-se até curso! Existem livros, manuais, CD’s, congressos, camisas (“estou subindo o monte”) e toda a forma de marketing. Tem para todos os gostos, e bolsos... E o comércio se multiplica.(Ez 28:16) E a multidão nem avalia a qualidade, faminta pelo topo, paga qualquer preço e segue qualquer caminho, não sabendo que existem caminhos enganosos (Pv 14:12).

Procura-se um Coração em Chamas! - Wesley L. Duewel


Para o líder cristão, não existe nenhuma alternativa para o Espírito Santo. É necessário que o líder tenha um coração abrasado pelo amor a Deus e aos homens. Como afirmou Dr. George W. Peters: “Deus, a igreja e o mundo estão à procura de homens com corações em chamas – corações cheios do amor de Deus; cheios de compaixão pelos males, tanto da igreja quanto do mundo; cheios de paixão pela glória de Deus, o Evangelho de Jesus Cristo e a salvação dos perdidos”.

“A resposta de Deus”, acrescenta ele, “para um mundo cheio de indiferença, materialismo, frieza e escárnio são corações ardentes nos púlpitos, nos bancos das igrejas, nas escolas bíblicas e nos colégios e seminários cristãos.”

Se você é um líder cristão, e o seu coração não está ardendo em chamas, com toda certeza a maioria dos membros de sua igreja terá um coração morno, que pouco ou nenhum impacto tem sobre o mundo. As nossas comunidades não se impressionam muito com nossos programas e infindáveis atividades. Para ter impacto sobre a comunidade, precisa ter algo além de uma igreja ativista, preocupada em atender e ajudar os visitantes. Precisa ser uma igreja em chamas, liderada por homens que têm o ardor de Deus em seus corações.

27 de jul de 2009

O Que Significa Ser Cheio Do Espirito - John MacArthur

25 de jul de 2009

John Wesley: Homem de Devoção

É de conhecimento comum que John Wesley foi um dos grandes exemplos históricos de vida devocional. Um estudo mais detalhado, porém, revela que ele não era nenhum super-herói capaz de manter comunhão ininterrupta com Deus. Assim como nós, tinha altos e baixos. Cometeu vários erros e precisou fazer ajustes ao longo da jornada – o que nos oferece esperança!

A seguir, alguns aspectos importantes de suas práticas.

Disciplina

O fato de ter cometido erros não impediu Wesley de prosseguir. Ele estava convicto de ter achado o elemento essencial da vida cristã e estava determinado a conquistá-lo. Os registros regulares que constam em seu diário indicam que, por mais de 60 anos, ele observou fielmente as disciplinas espirituais. Convém mencionar que ele modificava, de vez em quando, a estrutura e o conteúdo. Estava disposto a fazer novos experimentos às vezes. Contudo, sua intenção básica de relacionar-se pessoalmente com Deus nunca vacilou.

Modismo Gospel

Desabafo de um professor de teologia sobre "levitas", "apóstolos" e outros modismos:

Sou um professor de Teologia em crise. Não com minha fé ou com minhas convicções,mas com a dificuldade que eu e outros colegas enfrentamos nos últimos anos diante dos novos seminaristas enviados para as faculdades de teologia evangélica. Tenho trabalhado como Professor em Seminários Evangélicos presbiterianos, batistas, da Assembléia de Deus e interdenominacionais desde 1991 e, tristemente, observo que nunca houve safras tão fracas de vocacionados como nos últimos três anos.

No início de meu ministério docente, recordo-me que os alunos chegavam aos seminários bastante preparados biblicamente, com uma visão teológica razoavelmente ampla, com conhecimentos mínimos de história do cristianismo e com uma sede intelectual muito grande por penetrar no fascinante mundo da teologia cristã. Ultimamente, porém, aqueles que se matriculam em Seminários refletem a pobreza e mediocridade teológica que tomaram conta de nossas igrejas evangélicas.

Sempre pergunto aos calouros a respeito de suas convicções em relação ao chamado e à vocação. Pois outro dia, um calouro saiu-se com a brilhante resposta: "não passei em nenhum vestibular e comecei a sentir que Deus impedira meu acesso à universidade a fim de que eu me dedicasse ao ministério". Trata-se do mais típico caso de "certeza da vocação" adquirida na ignorância.


E, invariavelmente, esses são os alunos que mais transpiram preguiça intelectual.
A grande maioria dos novos vocacionados chega aos Seminários influenciada pelos modismos que grassam no mundo evangélico. Alguns se autodenominam "levitas". Outros, dizem que estão ali porque são vocacionados a serem "apóstolos".

Jesus Cristo Recrucificado

Pr. Walter Santos Baptista


"Cristo enviou-me, não para batizar, mas para evangelizar; não com sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo não se faça vã (1Coríntios 1.17). "... de novo estão crucificando para si mesmos o Filho de Deus..." (Hb 6b);

Em 1959, o eminente pregador e escritor canadense Pr. A. W. Tozer declarou que "A qualidade do cristianismo evangélico vem piorando ano após ano". Isso foi dito há quarenta e três anos acerca do cenário eclesiástico norte-americano. Lamentavelmente, verificamos que chegou por aqui também. Esqueceram muitos líderes de igrejas chamadas evangélicas das balizas da Reforma do Século 16: Sola Gratia, Sola Fide, Sola Scriptura; Solus Christus, ou seja "Só a Graça de Deus; Só a Fé Pessoal; Só a Escritura Sagrada como regra de Fé e Prática; Só Jesus Cristo como Salvador", tão bem expressos esses estandartes na palavra de ordem do CongressoBíblico-doutrinário do Amazonas: CRISTO NO CENTRO! BÍBLIA NO PÚLPITO! HERESIAS DE FORA!

Em outra de suas inúmeras obras declarou que

"Jesus Cristo não tem hoje quase nenhuma autoridade entre os grupos que se chamam pelo Seu nome. Não estou me referindo aqui aos católico-romanos, nem aos liberais, nem sequer às seitas quase-cristãs. Refiro-me às igrejas protestantes em geral e incluo aquelas que protestam mais alto que não se acham num declive espiritual, afastando-se de nosso Senhor e seus apóstolos, a saber, os 'evangélicos'"

As 95 Teses de Martinho Lutero



As 95 Teses afixadas por Martinho Lutero na Abadia de Wittenberg a 31 de outubro de 1517, fundamentalmente "Contra o Comércio das Indulgências":

Movido pelo amor e pelo empenho em prol do esclarecimento da verdade, discutir-se-á em Wittemberg, sob a presidência do Rev. Padre Martinho Lutero, o que segue. Aqueles que não puderem estar presentes para tratarem o assunto verbalmente conosco, o poderão fazer por escrito.
Em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.

1ª Tese
Dizendo nosso Senhor e Mestre Jesus Cristo: Arrependei-vos... etc., certamente quer que toda a vida dos seus crentes na terra seja contínuo e ininterrupto arrependimento.

2ª Tese
E esta expressão não pode e não deve ser interpretada como referindo-se ao sacramento da penitência, isto é, à confissão e satisfação, a cargo dos sacerdotes.

3ª Tese
Todavia não quer que apenas se entenda o arrependimento interno; o arrependimento interno nem mesmo é arrependimento quando não produz toda sorte de mortificação da carne.

4ª Tese
Assim sendo, o arrependimento e o pesar, isto é, a verdadeira penitência, perdura enquanto o homem se desagradar de si mesmo, a saber, até à entrada para a vida eterna.

5ª Tese
O papa não quer e não pode dispensar de outras penas além das que impôs ao seu alvitre ou nem acordo com os cânones, que são estatutos papais.

6ª Tese
O papa não pode perdoar dívida, senão declarar e confirmar aquilo que já foi perdoado por Deus, ou então o faz nos casos que lhe foram reservados. Nestes casos, se desprezados, a dívida em absoluto deixaria de ser anulada ou perdoada.

7ª Tese
Deus a ninguém perdoa a dívida sem que ao mesmo tempo o subordine, em sincera humildade, ao ministro, seu substituto.

8ª Tese
Cânones poenitentiales, que são as ordenanças de prescrição da maneira em que se deve confessar e expiar, apenas são impostos aos vivos, e, de acordo com as mesmas ordenanças, não dizem respeito aos moribundos.

9ª Tese
Eis por que o Espírito Santo nos faz bem mediante o papa, excluindo este de todos os seus decretos ou direitos o artigo da morte e da necessidade suprema.

10ª Tese
Procedem desajuizadamente e mal os sacerdotes que reservam e impõe aos moribundos penitências canônicas ou para o purgatório a fim de ali serem cumpridas.

11ª Tese
Este joio, que é o de transformar a penitência e satisfação, prevista pelos cânones ou estatutos, em penitência ou penas do purgatório, foi semeado enquanto os bispos dormiam.

12ª Tese
Outrora canônica poenae, ou seja, penitência e satisfação por pecados cometidos, eram impostos, não depois, mas antes da absolvição, com a finalidade de provar a sinceridade do arrependimento e do pesar.

13ª Tese
Os moribundos tudo satisfazem com a sua morte e estão mortos para o direito canônico, sendo, portanto, dispensados, com justiça, de sua imposição.

14ª Tese
Piedade ou amor imperfeitos da parte daquele que se acha às portas da morte, necessariamente resultam em grande temor; logo, quanto menos o amor, tanto maior o temor.

15ª Tese
Este temor e espanto em si tão só, sem nos referirmos a outras coisas, basta para causar o tormento e o horror do purgatório, pois se avizinham da angústia do desespero.

16ª Tese
Inferno, purgatório e céu parecem ser tão diferentes quanto o são um do outro o desespero completo, incompleto ou quase desespero e certeza.

17ª Tese
Parece que assim como no purgatório diminuem a angústia e o espanto das almas, também deve crescer e aumentar o amor.

18ª Tese
Bem assim parece não ter sido provado, nem por boas razões e nem pela Escritura, que as almas do purgatório se encontram fora da possibilidade do mérito ou do crescimento no amor.

19ª Tese
Parece ainda não ter sido provado que todas as almas do purgatório tenham certeza de sua salvação e não receiem mais por ela, não obstante nós termos esta certeza.


20ª Tese
Por isso o papa não quer dizer e nem compreender com as palavras “perdão plenário de todas as penas” o perdão de todo o tormento, mas tão só as penas por ele impostas.

21ª Tese
Eis por que erram os apregoadores de indulgências ao afirmarem ser o homem perdoado de todas as penas e salvo mediante indulgência do papa.

22ª Tese
Com efeito, o papa nenhuma pena dispensa às almas do purgatório das que, segundo os cânones da igreja, deviam ter expiado e pago na presente vida.

23ª Tese
Verdade é que se houver qualquer perdão plenário das penas, este apenas será dado aos mais perfeitos, que são muitos poucos.

24ª Tese
Logo, a maioria do povo é ludibriado com as pomposas promessas do indistinto perdão, impressionando-se o homem singelo com as penas pagas.

25ª Tese
Exatamente o mesmo poder geral que o papa tem sobre o purgatório, qualquer bispo e cura d’almas o tem no seu bispado e na sua paróquia, quer de modo especial e quer para com os seus em particular.

26ª Tese
O papa faz muito bem em não conceder o perdão às almas em virtude do poder das chaves (coisa que não possui), mas pela ajuda ou em forma de intercessão.

27ª Tese
Pregam futilidades humanas quantos alegam que no momento em que a moeda soa ao cair na caixa a alma se vai do purgatório.

28ª Tese
Certo é que, no momento em que a moeda soa na caixa, vem lucro, e o amor ao dinheiro cresce e aumenta; a ajuda, porém, ou a intercessão da igreja tão só correspondem à vontade e ao agrado de Deus.

29ª Tese
E quem sabe, se todas as almas do purgatório querem ser libertadas, quando há quem diga o que sucedeu com S. Severino e Pascoal.

30ª Tese
Ninguém tem certeza da suficiência do arrependimento e pesar verdadeiros, muito menos certeza pode ter de haver alcançado pleno perdão dos seus pecados.


31ª Tese
Tão raro como existe alguém que possui arrependimento e pesar verdadeiros, tão raro também é aquele que verdadeiramente alcança indulgência, sendo bem poucos os que se encontram.

32ª Tese
Irão para o diabo, juntamente com os seus mestres, aqueles que julgam obter certeza de sua salvação mediante breves de indulgência.

33ª Tese
Há que acautelar-se muito e ter cuidado daqueles que dizem: A indulgência do papa é a mais sublime e mais preciosa graça ou dádiva de Deus, pela qual o homem é reconciliado com Deus.

34ª Tese
Tanto assim que a graça da indulgência apenas se refere à pena satisfatória, estipulada por homens.

35ª Tese
Ensinam de maneira ímpia quantos alegam que aqueles que querem livrar almas do purgatório ou adquirir breves de confissão não necessitam de arrependimento e pesar.

36ª Tese
Tudo o cristão que se arrepende verdadeiramente dos seus pecados e sente pesar por ter pecado, tem pleno perdão da pena e da dívida, perdão esse que lhe pertence mesmo sem breve de indulgência.

37ª Tese
Todo e qualquer cristão verdadeiro, vivo ou morto, é participante de todos os bens de Cristo e da Igreja, por dádiva de Deus, mesmo sem breve de indulgência.

38ª Tese
Entretanto se não devem desprezar o perdão e a distribuição deste pelo papa. Pois, conforme declarei, o seu perdão consiste numa declaração do perdão divino.

39ª Tese
Ë extremamente difícil, mesmo para os mais doutos teólogos, exaltar diante do povo ao mesmo tempo a grande riqueza da indulgência e, ao contrário, o verdadeiro arrependimento e pesar.

40ª Tese
O verdadeiro arrependimento e pesar buscam e amam o castigo; mas a profusão da indulgência livra das penas e faz com que se as aborreça, pelo menos quando há oportunidade para tanto.



41ª Tese
É necessário pregar cautelosamente sobre a indulgência papal, para que o homem singelo não julgue erradamente ser a indulgência preferível às demais obras de caridade ou melhor do que elas.

42ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos, não ser pensamento e opinião do papa que a aquisição de indulgências de alguma maneira possa ser comparada com qualquer obra de caridade.

43ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos, proceder melhor quem dá aos pobres ou empresta ao necessitado do que os que compram indulgência.

44ª Tese
É que pela obra de caridade cresce o amor ao próximo e o homem torna-se mais piedoso; pelas indulgências, porém, não se torna melhor senão mais seguro e livre da pena.

45ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos que aquele que vê seu próximo padecer necessidade e a despeito disto gasta dinheiro com indulgências, não adquire indulgência do papa, mas desafia a ira de Deus.

46ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos que, se não tiverem fartura, fiquem com o necessário para a casa e de maneira nenhuma o esbanjem com indulgências.

47ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos ser a compra de indulgência livre e não ordenada.

48ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos que se o papa precisa conceder mais indulgências, mais necessita de uma oração fervorosa do que de dinheiro.

49ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos serem muito boas as indulgências do papa enquanto o homem não confiar nelas; mas muito prejudiciais quando, em conseqüência delas, se perde o temor de Deus.

50ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos que se o papa tivesse conhecimento da traficância dos apregoadores de indulgência, preferiria ver a basílica de São Pedro ser reduzida a cinzas a ser edificada com a pele, a carne e os ossos de suas ovelhas.

51ª Tese
Deve-se ensinar aos cristãos que o papa, por um dever seu, preferiria distribuir o seu dinheiro aos que em geral são despojados do dinheiro pelos apregoadores de indulgência, vendendo, se necessário, a própria basílica de São Pedro.

52ª Tese
Esperar ser salvo mediante breves de indulgência é vaidade e mentira, mesmo se o comissário de indulgências e o próprio papa oferecessem sua alma como garantia.

53ª Tese
São inimigos de Cristo e do papa quantos por causa da prédica de indulgências proíbem a palavra de Deus nas demais igrejas.

54ª Tese
Comete-se injustiça contra a palavra de Deus quando, no mesmo sermão, se consagra tanto ou mais tempo à indulgência do que à pregação da palavra do Senhor.

55ª Tese
A intenção do papa não pode ser outra do que celebrar a indulgência, que é a coisa menor, com um toque de sino, uma pompa, uma cerimônia, enquanto o evangelho, que é o essencial, importa ser anunciado mediante cem toques de sino, centenas de pompas e solenidades.

56ª Tese
Os tesouros da igreja, dos quais o papa tira e distribui as indulgências, não são bastante mencionados e nem suficientemente conhecidos na Igreja de Cristo.

57ª Tese
É evidente que não são bens temporais, porquanto muitos pregadores não os distribuem com facilidade, antes os ajuntam.

58ª Tese
Também não são os merecimentos de Cristo e dos santos, porquanto este sempre são suficientes, e, independente do papa, operam graça do homem interior e são a cruz, a morte e o inferno do homem exterior.

59ª Tese
São Lourenço chama aos pobres, os quais são membros da Igreja, tesouros da Igreja, mas no sentido em que a palavra era usada na sua época.

60ª Tese
Afirmamos com boa razão, sem temeridade ou leviandade, que estes tesouros são as chaves da Igreja, que lhe foram dadas pelo merecimento de Cristo.

61ª Tese
Evidente é que, para o perdão das penas e para a absolvição em determinados casos, o poder do papa por si só basta.




62ª Tese
O verdadeiro tesouro da Igreja é o santíssimo evangelho da glória e da graça de Deus.

63ª Tese
Este tesouro, porém, é muito desprezado e odiado, porquanto faz com que os primeiros sejam os últimos.

64ª Tese
Enquanto isso o tesouro das indulgências é notoriamente o mais apreciado, porque faz com que os últimos sejam os primeiros.

65ª Tese
Por essa razão os tesouros evangélicos foram outrora as redes com que se apanhavam os ricos e abastados.

66ª Tese
Os tesouros das indulgências, porém, são as redes com que hoje se apanham as riquezas dos homens.

67ª Tese
As indulgências, apregoadas pelos seus vendedores como a mais sublime graça, decerto assim são consideradas porque lhes trazem grandes proventos.

68ª Tese
Nem por isso semelhante indulgência é a mais ínfima graça, comparada com a graça de Deus e a piedade da cruz.

69ª Tese
Os bispos e os sacerdotes são obrigados a receber os comissários das indulgências apostólicas com toda reverência.

70ª Tese
Entretanto tem muito maior dever de conservar abertos os olhos e ouvidos, para que estes comissários, em vez de cumprirem as ordens recebidas do papa, não apregoem os seus próprios sonhos.

71ª Tese
Quem levanta a sua voz contra a verdade das indulgências papais é excomungado e maldito.

72ª Tese
Aquele, porém, que se insurgir contra as palavras insolentes e arrogantes dos apregoadores de indulgências, seja abençoado.




73ª Tese
Da mesma maneira em que o papa usa de justiça ao fulminar com a excomunhão aos que em prejuízo do comércio de indulgências procedem astuciosamente.

74ª Tese
Muito mais deseja atingir com o desfavor e a excomunhão àqueles que, sob pretexto de indulgências, prejudicam a santa caridade e a verdade pela sua maneira de agirem.

75ª Tese
Considerar a indulgência do papa tão poderosa, a ponto de absolver alguém dos pecados, mesmo que (coisa impossível de se expressar) tivesse deflorado a mãe de Deus, significa ser demente.

76ª Tese
Bem ao contrário afirmamos que a indulgência do papa nem mesmo pode anular o menor pecado venial no que diz respeito a culpa que representa.

77ª Tese
Afirmar que nem mesmo São Pedro, se no momento fosse papa, poderia dispensar maior indulgência, constitui insulto contra São Pedro e o papa.

78ª Tese
Dizemos, ao contrário, que o atual papa, e todos os que o sucederam, é detentor de muito maior indulgência, isto é, o evangelho, dom de curar, etc., de acordo com o que diz 1 Corinto 12.6-9.

79ª Tese
Alegar ter a cruz de indulgências, erguida e adornada com as armas do papa, tanto valor como a própria cruz de Cristo é blasfêmia.

80ª Tese
Os bispos, padres e teólogos que consentem em semelhante linguagem diante do povo, terão de prestar contas desta atitude.

81ª Tese
Semelhante pregação, a enaltecer atrevida e insolentemente a indulgência, torna difícil até homens doutos defenderem a honra e dignidade do papa contra a calúnia e as perguntas mordazes e astutas dos leigos.

82ª Tese
Haja vista exemplo como este: Por que o papa não livra duma só vez todas as almas do purgatório, movido pela santíssima caridade e considerando a mais premente necessidade das mesmas, havendo santa razão para tanto, quando, em troca de vil dinheiro para a construção da basílica de São Pedro, livra inúmeras delas, logo por motivo bastante infundado?



83ª Tese
Outrossim: Por que continuam as exéquias e missas de ano em sufrágio das almas dos defuntos e não se devolve o dinheiro recebido para esse fim ou não se permite os doadores busquem de novo os benefícios ou prebendas oferecidos em favor dos mortos, quando já não é justo continuar a rezar pelos que se acham remidos?

84ª Tese
E: Que nova santidade de Deus e do papa é esta a consentir a um ímpio e inimigo resgate uma alma piedosa e agradável a Deus por amor ao dinheiro e não livrar esta mesma alma piedosa e amada por Deus do seu tormento por amor espontâneo e sem paga?

85ª Tese
E: Por que os cânones de penitência, isto é, os preceitos de penitência, que faz muito caducaram e morreram de fato pelo desuso, tornam a remir mediante dinheiro, pela concessão de indulgência, como se continuassem em vigor e bem vivos?

86ª Tese
E: Por que o papa, cuja fortuna é maior do que a de qualquer Creso, não prefere construir a basílica de São Pedro de seu próprio bolso em vez de o fazer com o dinheiro de cristãos pobres?

87ª Tese
E: Que perdoa ou concede o papa pela sua indulgência àqueles que pelo arrependimento completo tem direito ao perdão ou indulgência plenária?

88ª Tese
Afinal: Que benefício maior poderia receber a igreja se o papa, que atualmente o faz uma vez ao dia cem vezes ao dia concedesse aos fiéis este perdão a título gratuito?

89ª Tese
Visto o papa visar mais a salvação das almas mediante a indulgência do que o dinheiro, por que razão revoga os breves de indulgência outrora por ele concedidos, quando tem sempre as mesmas virtudes?

90ª Tese
Desfazer estes argumentos muito sutis dos leigos, recorrendo apenas à força e não por razões sólidas apresentadas, significa expor a igreja e o papa ao escárnio dos inimigos e desgraçar os cristãos.

91ª Tese
Se, portanto, a indulgência fosse apregoada no espírito e sentido do papa, estas objeções poderiam ser facilmente respondidas e nem mesmo teriam surgido.

92ª Tese
Fora, pois, com todos este pregadores que dizem à igreja de Cristo: Paz! Paz! Sem que haja paz!

93ª Tese
Abençoados, porém, sejam todos os pregadores que dizem à igreja de Cristo: Cruz! Cruz! Sem que haja cruz!

94ª Tese
Admoeste-se os cristãos a que se empenhem em seguir seu Cabeça, Cristo, através da cruz, da morte e do inferno;

95ª Tese
E desta maneira mais esperem entrar no reino dos céus por muitas aflições do que confiando em promessas de paz infundadas.

Frases 2 - Charles H. Spurgeon


"A igreja deve atrair pela diferença e não pela igualdade"

A Cruz e o Ego - Arthur W. Pink


“Então, disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz, e siga-me” — (Mateus 16:24).
Antes de desenvolver o tema deste verso, comentemos os seus termos. “Se alguém”: o dever imposto é para todos os que desejam se unir aos seguidores de Cristo e alistar sob a Sua bandeira. “Se alguém quer”: o grego é muito enfático, significando não somente o consentimento da vontade, mas o pleno propósito de coração, uma resolução determinada. “Vir após mim”: como um servo sujeito ao seu Mestre, um estudante ao seu Professor, um soldado ao seu Capitão. “Negue”: o grego significa “negar totalmente”. Negar a si mesmo: sua natureza pecaminosa e corrompida. “E tome”: não passivamente sofra ou suporte, mas assuma voluntariamente, adote ativamente. “Sua cruz”: que é desprezada pelo mundo, odiada pela carne, mas que é a marca distintiva de um cristão verdadeiro. “E siga-me”: viva como Cristo viveu — para a glória de Deus.

Dez acusações contra a igreja moderna (todas as partes) - Paul Washer

Este foi um sermão de Paul Washer ministrado em uma conferência sobre avivamento em Outubro de 2008, que o Vinícius M. Pimentel do Blog Voltemos ao Evangelho traduziu. Mais uma vez somos impactados e confrontados para viver uma verdadeira nova vida em Cristo. É impossível ficar indiferente perante as verdades apresentadas. Vale muito a pena ver!

24 de jul de 2009

Jesus Cristo Morreu e Ressuscitou - Paul Washer

22 de jul de 2009

Frases 1 - John Wesley


Uma pessoa pode ir à igreja duas vezes por dia, participar da ceia do Senhor, orar em particular o máximo que puder, assistir a todos os cultos e ouvir muitos sermões, ler todos os livros que existem sobre Cristo. Mas ainda assim tem que nascer de novo.
John Wesley (1703 – 1791)

20 de jul de 2009

Para Ele - Paul Washer

Eis que as trevas cobrem a terra - Watchman Nee



Apesar das palavras deste artigo terem sido proferidas há mais de 50 anos atrás, parecem descrever
com precisão a situação espiritual dos nossos dias!

A luta hoje parece se tornar mais pesada dia a dia, como se o único alvo dos ataques de Satanás fosse nós, os crentes. Por isso, na era atual, o problema que existe é se você e eu podemos perseverar até a última meia hora. "[Satanás] Magoará os santos do Altíssimo" (Dn 7.25). Magoar tem aí o sentido de "desgastar", consumir devagar. É muito mais difícil reconhecer Satanás como aquele que desgasta os santos do que um Satanás que ruge como um leão. E a sua obra de consumir lentamente os santos já começou.

Sempre que vou à Montanha Kuling, caminho ao longo da correnteza que há ali. Freqüentemente vejo rochas enormes, mas que são côncavas no meio como bacias de tomar banho. Isto acontece por causa das muitas pedrinhas que diariamente as desgastam. Do mesmo modo Satanás trata os filhos de Deus. Em lugar de matá-los de um só golpe, tenta desgastar os santos, dia a dia, de modo que sem que percebam acabam gravemente feridos depois de algum tempo.